quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Em contagem decrescente

Para aqueles que acreditam que a vida, o tempo, se faz em ciclos, o final de ano rima com "esperança", rima com a expectativa de que um novo ano virá, cheio de novas oportunidades, que inspirá novos começos, que trará mudanças ou no minímo tentativas de mudança.

Neste final de ano, olho para trás e vejo o quanto fiz, o quanto poderia ter feito, mas, sobretudo vejo crescimento, vejo um olhar desperto, vejo coragem e determinação e apesar dos altos e baixos (que não foram poucos) vejo gratidão. 
Sou grata pela vida, grata por ser como sou, por acreditar e querer mais de mim. 
Sou grata pela família que tenho (o meu porto de abrigo), grata pelos meus filhos, que me constroem, todos os dias, dia após dia.
Sou grata pelo amor a meu lado, aquele que está sempre lá para me dar a mão, aquela mão que não me deixa cair, que me segura e me conforta.
Sou grata pelos amigos que me querem bem e me acompanham nesta viagem.

O ano que hoje termina teve bons momentos, teve momentos muito apertadinhos, difíceis até, mas foi sobretudo um ano de grandes aprendizagens, um ano que levarei comigo e que, com certeza, me irá catapultar para outros voos. 
Feliz 2015!

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Errar também é bom...

Às vezes gostava de errar mais, desviar-me mais, tropeçar e tornar a levantar mais...
Faz parte, são exemplos simples da tentativa, são retalhos de uma vida bem vivida, pois quem não erra é porque nada - ou quase nada - tenta...

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Saudades da palavra escrita, escrita a sério...

Há uns bons anos esta época era repleta de postais, de palavras breves mas sentidas, de linhas escritas que encurtavam as distâncias. Eram momentos únicos aqueles em que se escreviam os votos de Boas Festas e se liam em resposta o desejo de Muitas Felicidades e muitos beijinhos.
Era tão bom quando só se escreviam cartas e postais.
Sinto saudade das palavras manuscritas, do cheiro do papel e da tinta, sinto saudade da expectativa, da caixa do correio, a verdadeira caixa de correio...


sábado, 13 de dezembro de 2014

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Virar do aveso

O objectivo era esse, virar a vida do avesso, dar-lhe uma volta sem retorno, tornar reais as decisões e os caminhos há muito traçados. 
Um passo foi dado, muita coisa mudou, mas, ainda não é suficiente, não basta mudar de vida, é necessário olhá-la com outros olhos.
"Virar do avesso" nasceu disso, da necessidade da mudança, do traçar de novos rumos, da necessidade de respirar novos ares, sobretudo de aprender a ser feliz.