sexta-feira, 14 de julho de 2017

Receita para o fim de semana...

As bolinhas energéticas estão muito em voga nos nossos dias, mas para mim são apenas um modo delicioso de petiscar algo doce "sem culpa".

Vi-as pela primeira vez no Instagram (há tanto tempo que já não me lembro em qual...) e achei-lhes, desde logo, imensa piada. 
Desde ai, fiquei sempre com imensa vontade de experimentar. 
O tempo foi passando e, há alguns meses, resolvi investigar mais sobre estas "bombinhas de energia".

Experimentei várias receitas, inclusive esta que correu bastante bem e a qual me serviu de inspiração para criar a minha própria receita.
Para quem tiver vontade de provar este docinho (que quando comido com moderação em nada pesa na consciência e na balança) fica a receita:

Para as fazer:
30 tâmaras sem caroço
1 colher de sopa de óleo de coco
1 colher de manteiga de amendoim (receita aqui)
1 mão cheia de amendoim sem pele (triturado)
1 colher de sopa de amêndoa com pele (triturada)
1 colher de sopa de bagas de Goji 
1 colher de sopa de sementes de Chia
Coco ralado q.b. para envolver as bolinhas

Como fazer:
Comecei por triturar o amendoim e a amêndoa e reservei.
Coloquei as tâmaras e os restantes ingredientes no processador e triturei tudo até obter uma pasta homogénea.
Verti a mistura numa taça e juntei-lhe a amêndoa e o amendoim,  envolvi tudo muito bem e levei ao frigorífico por 1 hora (mais coisa, menos coisa).
Moldei então as bolinhas e envolvi-as no coco ralado.
Coloquei-as numa caixinha com tampa e guardei no frigorífico.

São deliciosas e perfeitas para aqueles momentos em que o "Bichinho da gula" (disfarçado de fome) ataca!



Espaços lindos que me inspiram...


quinta-feira, 13 de julho de 2017

Comer bem faz bem...

Ir a uma livraria implica dar, obrigatoriamente, uma vista de olhos pela secção de livros de cozinha...

Desta vez, foi uma espécie de paixão à primeira vista. 
A capa chamou-me, desde logo, a atenção e ao desfolhá-lo rendi-me à simplicidade e originalidade das receitas.
Um livro com imensas opções para confeccionar "Bowls", que são, nada mais, nada menos do que refeições práticas e rápidas de fazer, apresentadas em taças individuais.
Receitas essencialmente compostas por poucos ingredientes (uns mais acessíveis que outros), mas muito nutritivas e equilibradas.
Uma tendência um pouco "fora da caixa" que me atrai muito, não só pela sua simplicidade mas sobretudo por me permitir dar azo à imaginação...


quarta-feira, 12 de julho de 2017

O melhor da vida - Acabar o dia na praia...

Praia rima com serenidade, rima com coração feliz 
e um sentimento de gratidão tão imenso.

Gosto tanto do que a vida me dá, sobretudo destes dias na praia, dias em que vamos tarde e ficamos até ao sol se pôr.
Dias em que o jantar se improvisa dentro de uma geleira, o guarda-sol dá lugar aos raios quentes e dourados do final da tarde.
Dias onde se brinca até não poder mais.

Terminar os dias assim são felicidade plena, são momentos únicos que quero guardar na nossa colecção de coisas boas. 
Finais de dia que se prolongam, que são passados sem pressa e sem rotinas. 

 
É a minha vida pintada de azul.





terça-feira, 11 de julho de 2017

192 de 365 - Para não esquecer...

Vivo completamente focada em mudar o meu (o nosso) estilo de vida...
Determinada em abrandar e aproveitar ao máximo o "aqui e agora", sei que levará o seu tempo e sei também, que não será uma jornada fácil.

Quando levas uma vida cheia de vícios e rotinas, cheia de verdades e certezas (que nesta fase deixaram de fazer sentido) a mudança torna-se mais desafiante e, ao mesmo tempo, mais difícil. 
Tem dias em que custa, em que a preguiça fala mais alto, dias em que voltar ao mesmo parece tão mais fácil...
Ontem escrevi no nosso quadro de recados: "Vamos viver devagar e ser felizes"... Escrevi para eles, mas sobretudo, escrevi para mim, para que nos dias em que o chão treme e as dúvidas turvam, nos sirva de inspiração e nos faça seguir em frente.

Reencontrei-me há algum tempo e é ai que quero continuar.
Devagar em tudo, em mim, na vida, no amor.
Devagar para continuar a ser feliz...


segunda-feira, 10 de julho de 2017

Almocinho de fim de semana...

Simples, fresco e rápido de fazer.
Perfeito para quando chegas da praia, cheia de calor e com vontade de dormir uma bela sesta...

Uma fatia de pão torrado coberta com queijo creme.
Salmão fumado,
Fatias finas de abacate temperado com sumo de limão e sal,
Pedacinhos de tomate
1 ovo escalfado
Coentros

Para acompanhar uma salada verde e um belo sumo de fruta



Faço minhas estas palavras...


domingo, 9 de julho de 2017

Coisas giras e cheias de graça - IN Lagos Street Food Fest

Desde a primeira edição que andava mortinha por lá ir...
Não há duas sem três e à terceira foi de vez!
Este sábado rumei a Lagos para conhecer o In Lagos Street Food Fest 2017.


Uma mostra ou pequeno festival, se assim quisermos chamar, de "Food Trucks".  
Há uns anos chamaríamos de roulotes, mas os tempos são outros...
Com um design mais moderno (embora muitas nos façam lembrar as carrinhas de gelados dos anos 50) são bastante apelativas e cheias de charme, não só pelo seu aspecto exterior como pela comida que apresentam. 
Os tradicionais cachorros e bifanas de outrora, perderam terreno para os tacos e hamburgueres, para as sandes de pão pita e wraps... Estas novas carripanas oferecem-nos os petiscos da moda, iguarias dos quatro cantos do mundo que vieram para ficar.

Embora modernizado, na minha opinião, o conceito continua o mesmo, comida rápida, saborosa e acessível e o melhor de tudo é que, neste festival podemos encontrar várias opções para todos os gostos!
Eu rendi-me aos tacos, mais concretamente ao "Taco vegetariano de húmus com amêndoa e rúcula", super delicioso e que combinou na perfeição com um sumo de melancia e gengibre. 

O "In Lagos Street Food Fest" é um evento simples, pequenino, mas muito agradável, um programa para desfrutar a dois, com um grupo de amigos ou em família.
O ambiente deste festival é super descontraído e cheira a Verão. Foi perfeito para uma noite diferente, numa cidade que adoro!

Teria sido ainda mais perfeito se não estivesse tanto vento (e frio), mas ainda assim, gostei imenso e recomendo vivamente. 
Para o ano espero lá voltar (desta vez com um agasalho extra) e levo os miúdos comigo, acho que vão adorar!...









sexta-feira, 7 de julho de 2017

E se em vez de deitar fora?...

Ao organizar os materiais escolares dos meus filhos, verifiquei que a maior parte dos cadernos do mais velho apenas tinha sido utilizada até meio (ou nem isso!).
Como não costumo guardá-los (à excepção dos do 1º Ciclo) o meu primeiro impulso foi colocá-los no Ecoponto para papel, mas antes de o fazer pensei:
E se ao invés de "deitá-los fora" os reutilizasse?

Comecei por retirar as folhas usadas, forrei as capas com restos de papel de embrulho e por fim com papel autocolante transparente. 
Alguns deles ficaram como novos e como têm ainda imensas folhas vou guardá-los para o próximo ano. Os que ficaram mais "magrinhos" guardo-os para mim, sou apaixonada por cadernos e blocos de notas e estes serão, sem dúvida, muito, muito úteis.

Outros materiais que costumo reutilizar são: lápis de cor (por vezes chegam ao final do ano com um tamanho bastante razoável), tesouras, réguas, estojos, etc... Isto, porque tenho por hábito investir um bocadinho mais em materiais resistentes e sem "bonecada", deste modo nunca passam de moda e são mais duráveis.

Além daquilo que podemos poupar, ao reutilizarmos objectos estamos também a ajudar o nosso Planeta. Menos coisas significa menos matéria-prima gasta, menos poluição, menos desperdício...

Sei que este post em nada tem a ver, numa altura em que só se pensa em férias, sol e descanso, mas nós mães fazemos sempre contas à vida cada vez que pensamos no regresso às aulas e nos custos que isso acarreta.






"Cherry Pie" ou Tarte de Cereja...

Sempre que vejo, nos filmes ou séries de tv, as famosas Cherry pies, fico de olhos em bico e toda eu estremeço de vontade de lhes dar uma trinca.

Há uns dias decidi aventurar-me e fui à procura de uma receita de tarde de cerejas...
Para meu espanto, não é nada difícil e faz-se muito rapidamente (à excepção, é claro, do descaroçar das cerejas!)...

Para a massa:
2 chávenas e meia de farinha de trigo sem fermento.
225gr de manteiga sem sal
1 colher de chá de sal (pus um pouco menos)
1 colher de chá de açúcar (substituí por geleia de Agave)
1/4 de chávena de água gelada.
1 ovo batido para pincelar

Para o recheio:
1 Kg de cerejas bem maduras, sem caroço
3/4 chávena de açúcar (usei açúcar amarelo)
1/4 chávena de farinha de trigo (usei amido de milho)
Raspa e sumo de 1 limão

Preparar a massa: 
Numa tigela coloquei a farinha, o sal e o açúcar. Adicionei a manteiga aos cubos e misturei tudo até ficar com um aspecto de granulado. Juntei a água gelada e continuei a envolver os ingredientes até obter uma massa homogénea e húmida.
Dividi a massa em duas partes iguais, formei duas bolas e envolvi-as em película aderente.
Coloquei a massa no frigorífico para refrigerar durante 1 hora.

Preparar o recheio:
Numa tigela coloquei as cerejas partidas aos pedacinhos, o amido de milho, o açúcar e o limão. Envolvi tudo muito bem e reservei.

Montar a tarte: 
Entretanto, estendi uma das partes da massa (com a ajuda de um rolo) sobre a bancada de trabalho previamente polvilhada de farinha. 
Cobri uma forma de tarde (com fundo amovível) com a massa e nela verti o recheio das cerejas.
Com a outra parte da massa, cortei várias tiras com aproximadamente 1,5 cm de largura e cobri a tarte de modo a fazer uma espécie de quadriculado. 
Por fim, pincelei as tiras e o rebordo com o ovo batido e levei ao forno pré-aquecido a 180ºC. 
O tempo de cozedura pode variar de forno para forno, o melhor mesmo é ir vigiando, estará pronta quando o recheio começar a borbulhar e a massa estiver bem dourada.
Depois de cozida, retirei-a do forno e deixei arrefecer durante algumas horas, antes de servir, para a base absorver os sucos do recheio.

Pode servir-se fria, mas se aquecerem um pouco as fatias no microondas e as servirem com uma generosa bola de gelado de nata ou baunilha, fará com certeza, toda a diferença...


A receita original podem encontrá-la aqui: https://goo.gl/fvdP52


.


Espaços lindos que me inspiram...


quinta-feira, 6 de julho de 2017

"Desacelerar"

A propósito deste desafio, lançado pela Maria e pela Filipa, lembrei-me que ainda não tinha escrito nada sobre o livro "Viver devagar".

Ora bem... Li-o em 3 dias (como é de esperar quando gosto deveras de um livro) e devo dizer que vai directamente para a minha prateleira  "quero-os por perto". 
Cá em casa tenho um espaço reservado aos livros da minha vida, àqueles que deixaram marca, aos que provocaram mudanças e aos que gosto de ter por perto, todos eles livros para consultar ou voltar a ler sempre que me apetecer. 

O livro "Viver devagar" é um desses livros, um livro muito simples, leve e fácil de ler, mas ao mesmo tempo com uma mensagem tão importante, com passagens tão bonitas e pessoais, o que o torna muito especial, pelo menos para mim...
Identifico-me com muito do que a Maria escreve, com a sua visão do quotidiano e a importância de viver o "aqui e o agora", a urgência de nos reencontrar-nos com a natureza, tudo aspectos tão fundamentais e que me dizem tanto!

Há muito que sinto a necessidade de desacelerar, não que a minha vida seja um corrupio, sem tempo para nada ou algo assim... (tem dias, mas são mais as vezes em que a desorganização do tempo é mais desgastante do que a falta dele). 
O que preciso mesmo é de aprender a abrandar, ser capaz de parar para contemplar o que me rodeia, para olhar com olhos de ver...
Preciso aprender a abrandar para sentir, para me conectar com aquilo que verdadeiramente importa.

Desde que decidi mudar o meu rumo, tenho vindo a querer saber mais, a aprender mais, a descobrir por onde começar e o "Viver devagar" deu-me um enorme impulso, serviu para muitas coisas, sobretudo para tomar por certo parte daquilo em que realmente acredito.


Sou grata à Maria pelo bonito livro que escreveu, pela inspiração que ela mesma é...
O desafio #viverdevagar está mais que aceite...




segunda-feira, 3 de julho de 2017

Oficialmente de férias!!!

Mas calma, não sou eu...São eles! 

Os meus filhotes estão de férias, e que belas férias! 
Quase três meses de puro far niente...
Já escrevi aqui sobre isso e não me vou alongar muito, mas gostava de partilhar as respostas deles à "espécie de jogo" que fizemos.
Ora bem, o mais velho respondeu de imediato e o que me saltou à vista foram coisas das quais eu não esperava, pelo menos para já... 
Não vou transcrever tudo, mas para que fique registado (não vá a nossa folhinha de papel desaparecer)...

Sítios onde gostarias de ir? Resposta: Meo sudoeste
Livros que gostarias de ler? Resposta: "Escrito na água"
Algo novo que gostarias de aprender ou experimentar? Resposta: Conduzir

Socorro!Será que viajei no tempo e estamos em 2022 ?

Quanto ao mais novo, ainda não obtive muitas respostas, mas pelo menos uma das coisas já concretizámos, a tão desejada visita ao Zoomarine.