sexta-feira, 18 de agosto de 2017

230 de 365 - No meu elemento

Nos dias em que tudo parece de pernas para o ar. 
Nos dias em que só te apetece gritar até perder a voz...

Naqueles dias em que o que resta da tua paciência parece evaporar-se, eis que decides ir até à praia e, como que por magia, tudo passa. 
Tudo se torna mais simples e voltas a acreditar que sim, sim é possível voltar a assentar os pés no chão e continuar...



Espaços lindos que me inspiram...


terça-feira, 15 de agosto de 2017

227 de 365 - Agosto que já vais a meio...

E eu com tão pouca inspiração para escrever.
E eu com tão pouco tempo para olhar para dentro e me virar do avesso...

Agosto vai a meio e são tão poucas as encruzilhadas entre o que se esperou dele e o que realmente se tem.
O mês corre, os dias passam e por mais que tente vivê-los com serenidade, nem sempre é fácil.
Sinto uma culpa imensa por não conseguir fazer mais com e pelos filhos, que torcem constantemente o nariz aos planos furados e às tardes longas de horas mortas. 
As férias vão a mais de metade e já se começam a fazer notar a falta da escola (da parte deles) e da paciência (da minha parte)...
O calor deste querido mês não ajuda, assim como os magotes de gente pelas ruas. Filas por todos os lados, nas estradas, nos supermercados, nas esplanadas e até para chegar à praia. 
Os planos voltam a redefinir-se, por instantes quero acreditar que depois da azáfama de Agosto faremos mais e melhor... Mas não, Setembro traz sempre a sensação do final de época, do regresso às rotinas e trabalho, muito trabalho e toda uma sensação de que poderia ter sido diferente, como eu gostaria que fosse diferente...


Mãe de dois #14

Num jogo de perguntas e respostas...
...
Qual o teu lugar favorito?
G. : - A minha mente.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

219 de 365 - Sobrevivi

Quando o medo de não conseguir te consome.
Quando o tempo parece escapar por entre os dedos e o abismo parece estar no teu próximo passo...

Eis que surge, sem saber de onde, uma força que te faz abrandar o medo.
Paras, respiras e bebes a última gota de pensamento positivo que ainda te resta.
Acreditar em ti e no que vales, parece tão distante, mas quando olhas para trás sabes que sim, sabes que irás ser capaz, tens provas dadas que já o fizeste.

Sobrevivi a estes últimos dias, a ferro e fogo, envolta no receio do fracasso. 
Vi-me tantas, mas tantas vezes num carrossel de emoções, umas mais duras que outras, mas no meio de isto tudo sobrevivi. E, mais importante do que ter sobrevivido, foi ter acreditado que sim, que sou capaz, sou capaz de não baixar os braços e que a bem ou a mal, tudo passa...


Faço minhas estas palavras...


quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Julho

Julho... o mês mais quente, os dias mais compridos, sinónimo de Verão.

Julho foi um mês de tantos altos e baixos! Foram dias vividos entre muito trabalho, de horas que passaram sem dar conta e momentos em que pude saborear o prazer de viver devagar. 
Dias felizes que se fundiram com os menos bons.
Dias de um mês como tantos outros, em que a vida nos abre tantas janelas, mas teima em nos ensinar com tantos beliscões.
Obrigada querido mês de Julho, pelo bom e menos bom, obrigada pelos finais de tarde que só tu me sabes dar...